Shares

Adoro a praia. Adoro o mar. No verão e no inverno. Mas com calor é outro prazer. Ponho o pé na areia, os olhos começam a acompanhar o embalo do mar e baixa uma paz em mim, como se o sol me estivesse a fazer festas na cabeça. O meu sorriso muda, o ritmo do coração abranda, deixo-me levar pelo prazer de não fazer nada, de pensar o menos possível e sentir o impossível. Preguiça, doce preguiça.

Teresa Guilherme - praia, um prazer de sempre

Teresa Guilherme – praia, um prazer de sempre

 

Sou de Lisboa e a primeira praia da minha memória é a Costa de Caparica. Não como é agora, era ainda uma praia imensa, onde se tinha de pisar muita areia, até molhar o pé. Lembro-me da alegria de chegar, saltar ondas horas a fio, com os meus primos; do sabor das sandes preparadas em casa pela minha mãe ou pela minha avó e da birra, na hora de ir embora.

Teresa Guilherme - praia, um prazer de sempre

Teresa Guilherme – praia, um prazer de sempre

 

Já adolescente ia à praia todo o ano. Mal aparecia um raiozito de sol, apanhava o autocarro e ia aninhar-me nas rochas mais quentinhas. Ainda hoje, quando me sinto mais cansada, com menos energia, dou uma escapadela à praia mais próxima, mergulho e o mar leva o que estava mal e deixa-me de novo bem!

Teresa Guilherme - praia, um prazer de sempre

Teresa Guilherme – praia, um prazer de sempre

 

Sempre que viajo pergunto-me: “era capaz de me mudar e viver aqui?”. Nuns lugares penso que sim, noutros nem tanto, mas depois vem-me sempre à cabeça um verso dum fado que diz: “Lisboa tem o mar a cada esquina”, o que é verdade. Quando menos se espera lá vem ele muito azul de braço dado com o Tejo. E vou-me deixando ficar por cá.

O Verão (tímido) chegou. Vou aproveitá-lo todinho. É que acaba depressa, como tudo o que é bom!

Se gostou de conhecer este meu prazer de sempre, recorde o making da minha Turbinada  e o prazer que me deu ser produtora de televisão. Leia ainda o que escrevi sobre a minha linda mãe.

Shares

Pin It on Pinterest