Shares

Antes de contar a história do Senhor Alberto tenho de confessar que, apesar de ter boa memória, são tantas as pessoas e histórias que me passaram pela mão que é difícil lembrar-me de todas.

Mas acho divertido e carinhoso quando alguém passa por mim na rua e me diz: “já me ofereceu um carro no “1,2,3”, “foi a minha casa e roubou-me a minha cozinha no “Escova de Dentes” ou “já fui entrevistada por si”. São todas estas histórias que fazem parte da minha história. 

Apesar de viver o presente deolhos no futuro sem estar sempre a olhar para o passado, não sou saudosista, de vez em quando apanho-me a ver alguns episódios da novela da minha vida profissional.

 

O Eterno Feminino é uma eterna surpresa. 

Tenho alguns amigos que gostam de me surpreender com imagens minhas que pescam na rede infindável que é o Youtube. 

É uma espécie de arca onde estão guardados verdadeiros tesouros das muitas coisas que fiz. 

No outro dia fui apanhada de surpresa com um vídeo do Eterno Feminino que foi o meu primeiro programa na televisão. 

A situação em si era cómica. Dois irmãos, campeões de danças de salão dos Alunos de Apolo eram os convidados. Antes de serem entrevistados dançaram com toda a energia. 

Até aqui tudo bem. Só que a dança, mesmo para campeões puxa pelo físico  e faz as pessoas ficarem cansadas. 

Veio a entrevista e comecei eu, que na altura já era acelerada, a disparar perguntas. 

Os dois bailarinos coitados a arfar de cansaço, tentavam acompanhar o meu ritmo, mas faltava-lhes fôlego. Eu continuava a conversa a alta velocidade, porque em televisão o tempo é sempre curto. Eles em esforço esforçavam-se muito para responder a tudo, mas sempre com muita falta…de ar. 

Foi uma conversa de cortar a respiração.

 

Olha quem ele é, o Senhor Alberto!!

Depois de muito me rir a ver este episódio asfixiante, olhei melhor para os dois convidados que estavam neste vídeo. 

“Olha quem ele é”! Atirei eu surpresa ao aperceber-me que a cara daquele rapaz não me era estranha. 

Então não é que o arfante dançarino era o Senhor. Alberto, júri do programa “Dança com as Estrelas”!

Quem me haveria de dizer que eu conheci o Senhor Alberto quando ele ainda era um menino Alberto a dar os primeiros passos nas danças de salão. Já entrevistei tanta gente! 

Outra coisa que me divertiu neste vídeo foi a incerteza da irmã do Senhor Alberto sobre o meu nome: “chegámos a campeões com muito trabalho Teresa. É Teresa não é”?

Aquele era o meu primeiro programa, eu não era conhecida e ela não me queria chamar nomes…que não fossem o meu. 

É por episódios como este que o Eterno Feminino para mim é eterno. 

E por aqui me fico. Ver este vídeo deixou-me divertida, mas com falta de ar. 

TG

Shares

E já agora veja também...

Pin It on Pinterest